Saúde é tema de palestra do apresentador Fernando Rocha, do Bem Estar da TV Globo

Os cuidados com a saúde, combate ao estresse e o desafio para emagrecer foram alguns tópicos da palestra “Como cuidar da sua saúde”, do apresentador do programa Bem Estar, da TV Globo, Fernando Rocha.

eneac-fernando-rocha

Foto: GS2 Eventos / Diego Pacheco

De forma bem humorada, uma marca do seu trabalho na televisão, Fernando contou a trajetória de sua carreira até chegar ao programa Bem Estar,  onde se aprofundou no tema saúde.  Com a nova fase, veio também o desafio de encarar dietas em busca de perder peso e ter uma vida mais saudável.

“Eu me sentia orgulhoso de ser gordinho e até dizia que eu representava os obesos,  enquanto a Mariana Ferrão (também apresentadora do Bem Estar), os magrinhos. E seguia a vida com o peso de 115 kg. Eu via a realidade que queria ver e não me preocupava com o que comia”, contou.

20160922_091540

Fernando lembrou do momento em que decidiu mudar. “Foi quando eu estava tomando banho e não pude ver o meu pé (risos)”.

Na luta contra a balança,  Fernando sugeriu ao programa fazer um quadro de emagrecimento que geraria a participação do público nas redes sociais. E assim foi criada a hashtag #afinarocha.

Durante dois meses,  o apresentador só poderia consumir 800 calorias e as pessoas nas ruas ficavam tomando conta para que ele não saísse da dieta. “A vida era contada em gramas,  dia a dia”, disse.

A lista de problemas que uma pessoa pode eliminar evitando o aumento de peso foi destacada pelo jornalista, passando pelo risco de AVC,  diabetes e infarto.

20160922_094050

Outra questão levantada durante a palestra é que após a dieta,  a pessoa volta para a vida real. E é nesse momento que o cuidado deve ser redobrado para não voltar a ganhar peso. E foi assim que veio o #afinarochavidareal.

Neste percurso,  o apresentador descobriu diversas terapias,  como a dieta da hipnose,  a dieta da saudade,  do esporte,  entre outras.

“Hoje, eu tenho um objetivo de dez mil passos por dia e nove horas semanais de exercícios. Com isso, encontrei mais vitalidade para fazer minhas atividades”.

Fernando indica que tudo isso deve ser feito encontrando a medida certa, o meio do caminho.

“É importante entender que medicina não é ciência exata.  Faça o que conseguir.  Se for somente dez minutos por dia,  faça.  Se você não gosta de atividade física,  é porque você ainda não encontrou, mas procure uma que realmente te agrade”, recomendou.

Esta entrada foi publicada em COBERTURA ENEAC 2016 e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *