Ronaldo Nogueira: projeto de modernização obedeceu a todos os trâmites

Ministro afirmou nesta sexta-feira (29), em Gramado (RS), que não há possibilidade de o STF considerar inconstitucional a nova legislação trabalhista

Não há hipótese de o Supremo Tribunal Federal (STF) considerar a nova legislação trabalhista inconstitucional. A garantia foi dada pelo ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, na tarde desta sexta-feira (29), durante palestra no 19º Congresso Nacional e Latino-Americano de Revendedores de Combustíveis, em Gramado (RS). Segundo ele, o projeto de lei que altera as regras da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e moderniza a legislação trabalhista brasileira, sancionado pela Presidência da República em julho, obedeceu a todos os trâmites necessários para a entrada em vigor da nova legislação.

Ronaldo Nogueira lembrou que a modernização trabalhista teve sua concepção baseada em três eixos: consolidação dos direitos (entre os quais o descanso semanal remunerado e 13º salário), segurança jurídica para as relações de trabalho, de modo que o empreendedor não tenha medo de contratar, e com os acordos coletivos passando a ter força de lei e geração de empregos.

“Aquilo que foi acordado, terá validade por um, dois, três anos e assim por diante. Precisamos ter a fidelidade dos contratos”, enfatizou o ministro. “O Brasil perdeu quase 3 milhões de ofertas de trabalho desde 2014. A partir da sinalização da modernização trabalhista, já temos 164 mil empregos em estoque, somente neste ano”, acrescentou, destacando os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que registrou saldo positivo na criação de empregos no país nos últimos cinco meses consecutivos.

Fonte: Ministério do Trabalho

Esta entrada foi publicada em LEGISLAÇÃO E JURISPRUDÊNCIA, SEAC-RJ e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *