Seac-RJ no G1: Dívida do Governo do RJ com fornecedores pode gerar demissões

Sindicato diz que 30 mil trabalhadores podem perder emprego.

Atraso no pagamento seria de R$ 250 milhões e prejudica 40 empresas

Leia a matéria completa no G1

Cerca de 30 mil trabalhadores de empresas que prestam serviço para o Governo do Estado do Rio de Janeiro podem ficar desempregados após o carnaval se a dívida de cerca de R$ 250 milhões que o estado tem com fornecedores não for paga, segundo o Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação (Seac-RJ). A informação foi antecipada pela coluna do Ancelmo Gois, no Jornal O Globo.

“As empresas têm feito um sacrifício enorme até agora, pois estão sem receber desde julho do ano passado. Pegaram empréstimos até com agiota para honrar o pagamento dos funcionários, mas chega uma hora que não tem outro jeito. Vão demitir porque não tem outra solução”, explica José de Alencar, diretor-superintendente do sindicato.

De acordo com o sindicato, a dívida afeta cerca de 40 empresas que prestam serviço para o Governo do Estado do Rio e a melhor alternativa seria negociar o pagamento para evitar as demissões. “Já fizemos ofício e não tivermos resposta. Não sei se o governo está esperando aporte de verba. Ele (governador) não está conversando e o silêncio é a pior coisa que tem.

Precisamos de uma sinalização dele para tentar um plano de emergência”, destacou Alencar.
Segundo Alencar, a dívida foi calculada baseada nos contratos e no número de meses em atraso.  “Ele precisa aprender a contratar somente aquilo que pode pagar. Precisa aprender a fazer um planejamento”, criticou o diretor, ressaltando que quando o governo paga dívidas depois do vencimento não embute juros referente ao período em atraso.

Prioridades
A Subsecretaria de Finanças da Secretaria de Fazenda do Rio informou que tem se reunindo com os responsáveis pelas unidades gestoras do estado para tratar das prioridades de pagamentos de cada unidade. De acordo com a subsecretaria, as áreas prioritárias (saúde, educação, assistência social e segurança) serão as primeiras a agendarem os encontros.

“Os pagamentos cujos empenhos ocorreram em 2014 mas não foram pagos naquele exercício estão em Restos a Pagar. As regras para quitação dos Restos a Pagar são definidas sempre no início do ano. Sairá um decreto – em breve mas ainda sem data marcada – informando a distribuição dos restos a pagar, estabelecendo as formas de pagamento, considerando principalmente as áreas prioritárias e despesas obrigatórias.  Este procedimento é parte da rotina do Estado e de conhecimento de todos os fornecedores”, diz a nota.

Sobre a confirmação do valor de R$ 250 milhões passado pelo sindicato, a secretaria diz que precisaria verificar com cada uma das 40 empresas para verificar se há dívidas com elas e qual é o valor.

Se deve por um lado, o governo do Rio sofre com devedores. O governador Luiz Fernando Pezão na segunda-feira (2) a colaboração do novo presidente do Tribunal de Justiça, Luiz Fernando Ribeiro de Carvalho, para executar as dívidas ativas com o estado, que chegam a R$ 60 bilhões.

Fonte: G1

Esta entrada foi publicada em IMPRENSA, SEAC-RJ. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *